Início  Características  Downloads  Imagens  Tutorial  F.A.Q.  Guestbook  Contactos  Sitemap    

Ajuda sobre a Automação de Navegação

Aqui ficaremos com uma ideia de como funciona a automação de navegação neste software, e como tirar proveito do seu potencial.

Já vimos anteriormente que no separador de definir hosts podemos definir os hospedeiros a pingar, quer por um IP e máscara, quer definindo o primeiro e último IPs, sendo estas duas para criação de lista de hospedeiros definindo intervalos de IPs, ou até utilizando a funcionalidade de "copy & click" que nos permite copiar um texto para a memória e com um simples clique fazê-lo extrair-lhe os hospedeiros.

Mas há algo de muito maior potencial no Network Pinger, que é a sua capacidade de automatização de navegação. Por vezes queremos extraír os hospedeiros de uma forma dinâmica, de alguma tabela na Internet. Imaginemos uma empresa de I.S.P., onde os seus operadores utilizam uma tabela onde seleccionam uma célula e dela retiram todos os clientes activos no momento, com os seus dados, como IP, MAC ADDRESS, etc. Sem automação, para pingarmos todos os hospedeiros para ver se há alguns em baixo, teríamos de copiar o texto, filtrar os IPs, colocar num software próprio e pingar. No Network Pinger isso poderá ser feito com um simples clique.

Não só há a automatização de navegação, como outras formas mais fáceis de retirar IPs de uma página. Uma delas, é dizer ao software para ler uma tabela de HTML e sacar dela os hospedeiros e certos dados, indicando os locais. A outra, é utilizada quando o texto donde extrair os IPs não é algo organizado como uma tabela HTML, mas sim algo mais caótico como um texto de um manual, nesse caso podemos deixá-lo filtrar ele mesmo todo o texto em busca dos domínios e/ou IP's a pesquisar.

Assim, no separador das sessões guardadas, temos quatro formas principais de fazer uma sessão lançar uma janela de pings em massa, uma sem automação de navegação, e as outras três com navegação automatizada.

Sem Automação: Para definirmos a lista de hospedeiros sem automação, temos de na caixa no topo escolher a opção de "Intervalo Definido Manualmente", e só assim teremos as opções desejadas visíveis. Para fazer uma sessão guardar uma lista de IPs sem ser de forma dinâmica, existe na parte direita do separador uma forma de definir um intervalo de IPs, quer por IP e máscara, quer apenas por IP inicial e final.

Com Navegação Automatizada: Aqui é que estão as funcionalidades a estudar neste tutorial. Dentro deste tipo de automatização, temos duas opções, com ou sem automação. Antes de tudo, temos um campo obrigatório nesta funcionalidade que é o do endereço da página ou ficheiro a ler, onde poderemos colocar um simples endereço de página na Internet ou rede, ou computador local. Temos também um campo que servirá para colocarmos o proxy, caso a página só seja acessível através de proxy, algo muito comum em empresas. Vamos às duas secções principais:

"Sem Automação (extrair todos)"

Após escolhermos esta opção, temos a chance de colocar o visto em duas caixas, a "Extrair IPs" e a "Extrair Domínios". Podemos ter uma delas ou mesmo as duas seleccionadas, dizendo ao software que deverá extraír domínios e/ou IPs da página por nós dada. A extração refere-se à página inteira, e o software varrerá toda a página em busca dos domínios e/ou IPs para popular a lista.

"Com Auto Navegação"

Aqui encontra-se o maior potencial deste separador. Temos oito campos a preencher, mas apenas alguns são necessários numa das opções. Os oito campos são:

  • Número do Form - Este campo define o número do formulário na página a ser lida que deverá ser executado, caso exista formulário a submeter. Caso só se queira ler uma tabela sem qualquer automação, deverá ter o valor "1" por defeito.

  • Número da Tabela - Aqui definimos o número da tabela na página a ler. Se só tiver uma única tabela deverá conter como valor "1". Caso tenha 3 tabelas e queiramos ler a segunda, colocaremos "2", e por aí adiante.

  • C. Primário - Esta opção é apenas para automação de navegação, quando queremos que o software seleccione uma opção de um campo, será este a representar o controlo HTML em questão. No caso de uma dropdown box em HTML, este campo terá "Select".

  • Secundário - Esta opção é apenas para automação de navegação, quando queremos que o software seleccione uma opção de um campo, será campo definido como secundário que terá o nome da opção em HTML a seleccionar. No caso de uma dropdown box em HTML, este campo terá "Option". Assim ele escolherá a "Option" correcta dentro do controlo HTML "Select" indicado.

  • Nome C. - Este campo tem como nome "Nome C.", e é onde deveremos colocar o nome da opção a seleccionar para navegação automatizada. Assim, se quisermos que ele vá ao controlo "Select" e escolher a "Option" de nome "teste", teremos de colocar aqui "teste", conforme se verá nos exemplos práticos abaixo.

  • Linha do Cabeçalho - Este é um campo obrigatório em qualquer ocasião com Auto Navegação, e serve para colocarmos o número da linha na tabela que deverá conter os títulos das colunas. Por norma, colocam-se os títulos na primeira linha, mas como nunca se sabe (pode haver uma linha vazia antes da linha dos títulos), aqui podemos definir qual a linha desses títulos.

  • Coluna do IP - Este é outro campo obrigatório em qualquer ocasião com Auto Navegação, o campo onde iremos colocar o número da coluna que conterá os domínios ou IPs dentro da tabela. Isto porque os domínios ou IPs a sacar da tabela, poderão estar não na primeira coluna mas sim segunda, terceira, ou outra.

  • Opção a Seleccionar - Esta é uma opção apenas válida quando queremos automatização de navegação, e faz com que, se contiver algo, a janela de pings em massa quando lançada após escolhermos a sessão em questão, vá buscar por exemplo a drop down "Select", do formulário indicado, na página, e varre todas as "Option", até encontrar a que desejamos e temos guardada no campo "Opção a Seleccionar", e escolhe essa opção de forma automática. Assim, se temos uma página com 3 opções, A, B e C, no segundo formulário do site, num controlo "Select" com várias "Option" dentro, ele irá abrir a janela de pings em massa, sacar todas as opções possíveis do formulário escolhido, e automaticamente seleccionar a opção que desejamos de forma automática, algo útil para quando queremos uma sessão para sacar dados automaticamente sempre da mesma opção.

Assim, temos duas formas possíveis de sacar dados de uma tabela HTML, com e sem automação:

  • Sem Automação: - Sem automação é quando queremos que o software abra uma página e saque dados de uma tabela HTML dentro dessa página, sem seleccionar opções nem deixar o utilizador seleccionar opções através do software de forma automática.

    Neste caso o utilizador só tem de preencher quatro campos: o "Número do Form" que terá de ter "1" por não existir e ter de ter valor por defeito, o "Número da Tabela" para indicar qual a tabela da página que deverá ser lida, o "Linha do Cabeçalho" para indicar qual a linha que contém os títulos, e o "Coluna do IP" para indicar qual a coluna que contém os IPs na tabela.

    Com estes dados, a janela de pings em massa ao ser iniciada já saberá como ler a tabela, e o resto será explicado abaixo. Neste caso, a janela de pings em massa não terá a possibilidade de se escolher qualquer opção automatizada da página à esquerda:

  • Com Automação: - Com automação será quando a página a ser lida necessita que seja escolhida e clicada alguma opção, e apresenta essas opções no próprio software e permite ao utilizador seleccionar uma opção e ele sacar a lista de hospedeiros de forma automática submetendo os formulários na página.

    Neste caso o utilizador tem de preencher pelo menos sete dos oito campos, com um opcional: o "Número do Form" que terá de conter o número do formulário na página, se o primeiro, segundo, terceiro, etc, o "Número da Tabela" para indicar qual a tabela da página que deverá ser lida após o software submeter o formulário para obter dados, o "Linha do Cabeçalho" para indicar qual a linha que contém os títulos na tabela que irá obter, e o "Coluna do IP" para indicar qual a coluna que contém os IPs na tabela, serão os primeiros a preencher.

    Depois, o campo "C. Primário", terá o controlo HTML onde estarão as opções, como por exemplo "Select" no caso de uma dropdown box, e o "Secundário" que terá o nome da tag de cada opção dentro desse controlo, neste caso "Option" pois cada controlo Select terá várias Option dentro que o software irá ler. Como a página que o software irá ler poderá ter diversos controlos do estilo do campo "C. Primário", neste caso vários controlos "Select", deveremos indicar obrigatoriamente o nome do mesmo, e tal será feito no campo "Nome C." onde colocaremos o que estaria neste caso após o "name=" da tag "Select". Vamos imaginar que a página que queremos ler tem o seguinte controlo HTML donde iremos sacar os IPs ao submeter o seu formulário:

    IP Addresses:
    <select name="ips">
    <option selected></option>
    <option>10.0.0.0/28</option>
    <option>192.168.1.0/28</option>
    </select><p>

    Neste caso o campo "C. Primário" teria "Select", o "Secundário" teria "Option", e o campo "Nome C." teria "ips" derivado do name="ips" que temos dentro da tag Select. Assim o software ao arrancar a janela de pings em massa, buscaria o formulário certo pelo campo "Número do Form", dentro dele sacaria o campo de tag "Select" que tivesse o nome de "ips" (name="ips") indicado no campo "Nome C.", e nele varreria todas as opções indicadas no campo "Secundário", neste caso todas as "Option", e colocá-las-ia na própria janela de pings em massa, para que sempre que o utilizador clicasse numa delas, o software sacasse todos os hospedeiros e se preparasse para os pingar.

    Neste caso, ao ser iniciada a janela de pings em massa, já haverá do lado esquerdo da mesma uma secção destinada a apresentar a lista de opções disponíveis na página donde foram sacadas, para que o utilizador com um simples clique nas mesmas, possa sacar os hosts delas no website de forma automática e começar a pingar, como veremos no exemplo mais abaixo.

    No exemplo que vem por defeito no software, temos a seguinte página para exemplo:

    Se clicarmos na imagem acima, iremos ver a página de testes real, e que ao seleccionarmos uma opção da dropdown box acima ou na de baixo, teremos resultados. O software vem com duas sessões por defeito que usam esta página para sacar dados, a "automatedTableDN" e a "automatedTableIP", que vão ambas sacar os hospedeiros a cada um dos formulários diferentes.

    O seu código HTML, se virmos o código fonte da página, é:

    IP Addresses:

    <select name="ips">

    <option selected></option>

    <option>10.0.0.0/28</option>

    <option>192.168.1.0/28</option>

    </select><p>

    Domain names:

    <select name="domains">

    <option selected></option>

    <option>Domains with Numbers</option>

    <option>Domains with Letters</option>

    </select><p>

    As duas sessões guardadas por defeito, terão assim como dados comuns entre elas, além do endereço da página, o número do formulário que é "1" pois só há um formulário na página, o número da tabela que é "1", pois após submeter o form só devolve uma tabela e iremos ler a primeira que é essa, teremos também o valor "1" para a linha do cabeçalho (títulos) e a coluna que contém os hospedeiros, já que as tabelas são iguais, teremos também os valores "Select" e "Option" como campos primário e secundário, pois ambos os dados são escolhidos em dropdown boxes "Select".

    Sobra apenas um campo que nos fará distinguir se se trata da dropdown box dos domínios ou dos IPs, que é a de nome "Nome C.", que de acordo com o código fonte exibido acima, uma terá como valor "ips" e a outra "domains". É através deste campo, que o software diferencia as dropdown boxes "Select" e nos permite escolher entre as duas dadas no exemplo, uma dando uma lista de IPs de hospedeiros, a outra dando uma lista de hospedeiros no formato de domínios, para exemplo.

    Após se seleccionar uma destas sessões, ou criarmos uma nova, e clicarmos em "Iniciar Pings", teremos uma janela de pings em massa aberta, mas desta vez com uma secção à sua esquerda onde serão exibidas as opções disponíveis na dropdown box escolhida por nós, no caso da imagem abaixo foi escolhida a dropdown box dos domínios, e depois foi clicada numa das suas duas opções, a dos "domains with letters", e populada a tabela com os mesmos, e começados os pings:

    Colocando "ips" em vez de "domains" no campo "Nome C." da sessão, teríamos para escolher as opções que estão na página, referentes à dropdown box de IPs em vez da dos domínios.

Campos Extra

Não só o software extrai os endereços de IP ou domínios da tabela de HTML para os apresentar no software, como também extrai todos os campos apresentados na tabela HTML original para os mostrar no software. Porquê? Porque podem conter dados importantes e que devem estar associados a cada hospedeiro na tabela, e para efeitos de ordenação, detecção de problemas, etc.

Vamos a ver um exemplo prático, que se passaria num I.S.P. onde cada hospedeiro estaria inserido numa célula, e cada célula teria vários PDs, e teríamos também o MAC Address associado a cada IP. Vamos a ver como seria uma possível tabela de HTML, a que temos criada para o nosso exemplo de tabela não automatizada:

A tabela acima é a criada para a sessão por defeito de tabelas sem automação, e tem vários campos além do endereço de IP de cada hospedeiro, e simula por exemplo um I.S.P., onde cada IP tem associado um MAC Address, e pertence a um dado PD, dentro de uma certa célula, etc. O software irá pegar nesses campos extra e apresentá-los na própria tabela de pings em massa:

Como podemos ver na imagem acima, absolutamente todos os campos existentes na tabela original da página HTML lida, se encontram na tabela dos pings em massa do Network Pinger, incluíndo a própria coluna de onde sacámos os hospedeiros. Não só nos permite identificar dados associados a cada hospedeiro, como nos permite a detectar padrões de falhas nos vários hospedeiros.

Exemplo prático de uso dos Campos Extra

A título de exemplo, imaginemos que fazemos pings aos modems todos dentro de um CMTS específico de uma operadora de Internet, e vemos que estão 5% deles em baixo, ou seja uns 500 modems de cerca de uns 10.000 no total, estão em baixo. Se ordenarmos os resultados dos pings em massa pelo estado do último ping, separando os pings com sucesso dos falhados, ficamos logo com uma mancha vermelha de pings juntos, que são os falhados. Ao estarem por ordem, vamos procurar pontos de padrão, e se virmos que estão todos em células diferentes, ignoramos, mas imaginemos que vemos que estão todos na mesma célula? Será estranho e vamos investigar, e vamos imaginar que descobrimos que são todos de um local específico, todos do mesmo PD. E assim é uma forma rápida de detectar padrões e falhas numa rede inteira.

Basta-nos assim fazer um simples ping em massa a uns quantos milhares de hospedeiros, separar os que falham dos bons, ver se pertencem todos às mesmas secções ou sub secções, e se sim, descobrimos erros facilmente. Ao vermos que pertencem todos à mesma secção, vamos ordenar a tabela pela secção e vemos se todos os hospedeiros da mesma estão em baixo, ou metade, ou quase nenhuns, etc. E é assim que esta funcionalidade de colocar campos extra retirados do HTML original nos pode ser muito útil, não só para identificarmos os hospedeiros, como para troubleshooting de erros e falhas locais.

Podemos também ver locais congestionados, imaginemos ordenar por pings em massa e vermos que uma certa secção tem tudo o que é modems com pings super elevados, etc. Há muitas formas de utilizar o software para detecção de problemas numa empresa.

É assim que se criam e configuram sessões para navegação automatizada. É explicado o resto do processo, ou seja, o funcionamento da janela dos pings em massa, no Tutorial da Janela de Pings em Massa, tendo este tutorial servido apenas para ensinar a criar e configurar as sessões que permitirão à posterior utilização das funcionalidades de pings em massa de forma automatizada, ou mesmo não automatizada mas com navegação.

    
Demonstração em Vídeo

Transferir agora (download grátis):

Network Pinger v1.0.1.0
1.50 MB, versão em Português, Espanhol, Inglês, Francês, Alemão, Italiano, Chinês Simplificado, Chinês Tradicional, Russo
     
  
Publicado em 13 de Março de 2012



Software Network Pinger registado na SafeCreative (Copyright © Gonçalo Ferreira)

Network Pinger