Início  Características  Downloads  Imagens  Tutorial  F.A.Q.  Guestbook  Contactos  Sitemap    

Ajuda sobre a Janela de Pings Individuais

Arranque da Janela de Pings Individuais

Esta janela de pings individuais permite-nos fazer pings a determinados hospedeiros com visualização gráfica dos resultados dos mesmos, e é aberta quando invocamos um ping na janela principal ou em qualquer momento em qualquer outra janela através do menu ou barra de ferramentas. Por norma, ao ser aberta, inicia os pings por defeito, a não ser se for aberta a partir da janela de pings em massa por intermédio de duplos cliques, sendo que nesse caso, os pings não começarão automaticamente após a abertura da janela, e poderão mesmo ter o histórico de pings já apresentado na mesma ao ser aberto, caso seja um duplo clique num hospedeiro que já tenha histórico de pings na janela de pings em massa.

Vamos abaixo estudar as várias funcionalidades desta ferramenta.

Painel de Comandos

Neste painel perto do topo da janela temos vários botões, com os quais damos instruções para começar, colocar em pausa, retomar, ou parar os pings, bem como fechar a janela. Os botões existentes e as suas funcionalidades ficam aqui descritos:

  • Pingar - Este é o botão que dá começo ao ping. Uma vez clicado, fica desactivado e só volta a estar disponível para ser clicado após clicarmos no botão "Parar".

  • Parar - Este é o botão que termina o ping. Uma vez clicado, fica desactivado e o botão "Pingar" volta a estar disponível para ser clicado e desta forma reiniciar todo o processo e dar origem a um novo ping.

  • Pausa/Retomar - Este é o botão que serve para se fazer uma pausa no ping ou retomá-lo posteriormente. Este botão fica disponível para ser clicado apenas quando se começa um novo ping clicando no botão "Pingar". Uma vez iniciado o ping, este botão fica como "Pausa" e clicando nele, entramos em modo de pausa, onde o ping fica paralizado, e o botão passa a ter escrito "Retomar". Uma vez clicado em "Retomar", o ping continua de onde tinha parado, e o botão volta a ter a designação de "Pausa". Este botão só fica indisponível após se parar o ping clicando no botão "Parar".

  • Sair - Este é o botão que nos faz fechar a janela de Pings Individuais e terminar tudo o que nela decorre, tal e qual o botão de fechar na janela criada pelo sistema operativo. Ao ser clicado, o ping é terminado se estiver a decorrer, e a janela fechada logo de seguida.

Em imagens, fica aqui o processo de utilização destes botões:

Estado inicial: - No estado inicial, apenas estão disponíveis os botões de iniciar o ping e fechar a janela:

Estado durante um ping activo - Quando se começa um ping, o botão de pingar fica desactivado, e ficamos com três botões disponíveis, o de parar o ping, o da pausa, e o de fechar a janela dos pings individuais:

Estado com o ping em pausa - Quando o ping é colocado em pausa, continuamos com três botões disponíveis mas a função de um deles muda. O botão de parar mantem a mesma função, o botão de pausa passa a servir para se retomar o ping e assim sair da pausa, e o botão sair continua a servir para se fechar a janela de pings individuais. Ao se clicar no botão de retomar, ele voltaria a ter como função a de pausa:

Estado após se parar um ping - Após se dar instrução para parar um ping, voltamos a ter apenas dois botões disponíveis. O botão de iniciar o ping que desta vez passa a ter como designação "Recomeçar", e o botão de sair para podermos fechar a janela. Os botões de pausa e parar ficarão indisponíveis dado que o ping já terminou:

E são estes os botões principais desta janela, que controlam o ping de forma fácil e eficaz.

Painel de Parâmetros

Neste painel temos os diversos parâmetros que podemos alterar em tempo real no ping que estamos a fazer. Isto quer dizer que se estivermos a meio de um ping e alterarmos algum destes parâmetros, o próximo pacote a ser enviado pelo ping já terá em conta estes parâmetros, pois estes afectam o ping em tempo real, uma grande diferença e vantagem em relação às ferramentas tradicionais em modo de texto cujos parâmetros só podiam ser definidos antes de se iniciar o comando.

  • Tempo em MS [0,99M] - Nesta caixa definimos o tempo em milissegundos que o Network Pinger deverá esperar até enviar o próximo pacote, e tem como valor por defeito o de 1000 milissegundos, ou seja, um segundo de intervalo. Tem como limite máximo perto de 99 milhões (algo que ninguém utilizará), e sem limite mínimo. Quer dizer que se quisermos fazer pings a um host sem tempo de espera, algo que o fará fazer centenas de pings por segundo ou mais ainda, basta que coloquemos o tempo de espera a 0. Se quisermos máxima performance, devemos retirar os dois vistos que temos na caixa de texto, e os três vistos que temos nos gráficos, além do visto das estatísticas no canto inferior direito da janela, e assim haverá menos consumo de CPU durante o ping e conseguiremos os melhores resultados, exemplificados pelo exemplo ao lado, que mesmo sabendo que se trata de um ping ao próprio localhost, o fazer 1000 pings em 35 milissegundos, ou seja 0,035 milissegundos por ping mostra o quão optimizado o software está para este tipo de operações.

  • Num. Pings [0,99M] 0=infin. - Nesta caixa definimos o número de pings a fazer pelo software, onde o valor 0, que é o valor existente por defeito, significa que não há limite de pings. Sendo assim, é possível definir um número de pings entre 0 e 99 milhões, onde 0 corresponde a um número infinito de pings a fazer. Após o número de pings definido nesta caixa ser atingido, o ping para, e mesmo que volte a ser aumentado o número nela, só recomeçará após ser reiniciado de novo o processo.

  • Tamanho em bytes [1,65535] - Nesta caixa definimos o tamanho de cada pacote enviado pelo ping em bytes, sendo que o valor por defeito é de 1 byte, ao contrário dos sistemas tradicionais que costumam ter como valor por defeito o de 32 bytes. O valor mínimo aceitável é de 1, e o máximo é de 2 elevado a 8, ou seja, 65535.

  • Time To Live [1,255] - Nesta caixa definimos o TTL de cada pacote, ou seja o seu Time To Live. Para um teste simples podemos experimentar fazer um ping a um website, e a meio do ping alterarmos o TTL para apenas 1, e veremos que os pacotes a meio começarão a dizer que o pacote expirou em trânsito. Isto é porque como em todos os outros parâmetros, este parâmetro afecta cada pacote enviado em tempo real. É especialmente útil em diversos testes de redes, para contagem de hops por onde os pacotes passam para cada servidor, entre outras coisas, ao permitir que o utilizador altere o número do TTL em tempo real a meio de um ping e ver assim respostas em tempo real no ecrã. O seu valor por defeito é de 128, mais do que necessário para um ping normal.

  • Timeout em Ms [100,10000] - Nesta caixa temos por fim o valor de Timeout de cada pacote enviado, medido em milissegundos, que poderá ter um valor entre um mínimo de 100 milissegundos e um máximo de 10.000 milissegundos, sendo que vem com um valor definido por defeito de 1000 milissegundos, ou seja, 1 segundo. Se quisermos que cada pacote enviado pelo ping seja dado como expirado após passarem por exemplo 200 milissegundos, deveremos colocar 200 nesta caixa, e assim após ser enviado um pacote, se o tempo de resposta ultrapassar os 200 milissegundos, o pacote é logo dado como expirado, mesmo que acabasse por ter resposta imaginemos 10 milissegundos depois.

    Como teste, podemos fazer um ping a um servidor que saibamos que tarda em média uns 120 ou 130 milissegundos a responder a cada pacote de ping, ou seja, um servidor cujos pings tenham tempos mínimos de resposta acima dos 100ms, e depois baixamos a meio do ping em tempo real este valor para apenas 100, e veremos que os pings começam a ser dados como expirados, e voltamos a colocar 1000ms depois, e os pings voltam a obter resposta com sucesso. Isto é porque com esta caixa podemos definir nós mesmos o tempo de expiração de cada pacote enviado. É útil em certos casos, como se quisermos fazer pings a um servidor que por norma responde sempre com um máximo de 100ms de tempo de resposta, e que raramente passe dos 150ms, neste caso, para fazermos um ping rápido sem tempo de espera entre cada pacote, e evitarmos que esse ping rápido tenha paragens de 1000ms no meio devido a algum pacote expirado, colocamos este valor como 150ms, e assim o ping nunca terá intervalos grandes de espera, porque se o ping tocar nos 150ms de tempo de resposta é logo dado como expirado e em vez de esperar 1000ms pela resposta, passa logo em frente para o próximo pacote, acabando por ser um parâmetro útil para ser alterado em tempo real.

Caixa de Texto e Botões do Rato

Aquando da criação do software Network Pinger, quis-se manter uma ligação com as antigas ferramentas em modo de texto por isso foi escolhido manter-se uma caixa em modo de texto nas janelas todas, apenas para efeitos de habituação do utilizador e facilidade de leitura bem como fazer uma pequena apresentação de novos utilizadores ao mundo das consolas de texto. Ao mesmo tempo, são utilizadas também para mostrar o que será guardado quando o utilizador desejar guardar um relatório de um resultado de uma ferramenta num ficheiro ou quando o utilizador desejar imprimir um relatório.

Esta caixa de texto não serve apenas para fácil visualização de resultados, como também para proporcionar uma certa interactividade entre o utilizador e os resultados da sua ferramenta, e isso é feito através das barras de ferramentas, e dos menus, como também da utilização do rato conforme falaremos mais abaixo.

Primeiro vamos ver duas opções presentes na caixa de texto, algo que é necessário sabermos para que servem e como funcionam, que são a "Mostrar Linhas" e "Auto Scroll". Estas duas opções possibilitam-nos desactivá-las, por motivos de performance ou uma delas também de acordo com o gosto de cada utilizador:

  • Mostrar Linhas - Esta opção, indica se deverão ser apresentadas as linhas de resposta dos pacotes enviados do ping, ou se não deverão ser apresentadas. Assim, se tiver um visto a caixa "Mostrar Linhas", o ping será escrito em tempo real na caixa de texto, cada resposta que haja do ping será apresentada na mesma. Se não tiver um visto esta caixa, os pings não verão as suas respostas apresentadas na caixa de texto durante o processo, e só quando terminarmos o ping ou clicarmos na pausa, é que os pings que foram feitos serão escritos na caixa de texto. Esta opção existe porque há uma muito pequena diferença na performance dos pings caso esteja activada a opção, de poucos milissegundos mas farão a diferença caso queiramos fazer pings com 0 de tempo de resposta, como o ping do localhost de milhares de pings por segundo que existe no exemplo. Nesse caso o utilizador poderá querer desactivar a caixa e assim os resultados só serão apresentados em tempos de pausa ou com o ping parado.

  • Auto Scroll - Esta opção torna-se necessária não só por razões de performance, como também por gosto pessoal de cada um ou necessidade. Em termos de performance, será pela mesma razão da opção anterior, em caso de querermos fazer pings com muito poucos milissegundos de espera entre cada um, em que cada milissegundo extra fará a diferença, podemos desactivar esta opção e veremos um aumento na velocidade dos pings, pois haverá menos procedimentos, neste caso o auto scroll, no espaço de tempo em que um ping termina e começa o outro. No caso referente ao gosto pessoal de cada um ou necessidade, refere-se ao facto de um utilizador poder gostar, ou necessitar, de ter o histórico dos pings parado num dado local, sem que haja um auto scroll que nos leve a posição do cursor para o fim do histórico dos pings, algo que nos faria perder de vista a posição actual do ecrã aquando de cada resposta de ping recebida. Torna-se assim necessária para alguns esta opção.

Importante saber nesta caixa de texto que podemos com o simples clicar do botão esquerdo do rato em cima de uma palavra, fazer bastantes operações. Se clicarmos com o botão esquerdo do rato em cima de uma palavra, o software irá seleccionar a palavra inteira automaticamente, e se depois clicarmos com o botão direito do rato em cima dessa selecção, teremos um menu de várias opções sobre ferramentas que podemos aplicar ao hospedeiro que acabámos de seleccionar, ou comandos customizáveis que podemos aplicar a qualquer palavra que seleccionemos, mediante algumas condições. Se seleccionarmos um grupo de palavras, e depois clicarmos com o botão direito do rato em cima da selecção, o software irá buscar de forma automática o primeiro hospedeiro dentro dessa selecção de forma automática, ou a primeira palavra, e será essa a utilizada nos menus ao clicarmos com o botão direito do rato em cima da selecção. Para mais informações será melhor ser consultada a página de ajuda aos Botões e Menus do Software.

Painel dos Gráficos

Vamos agora estudar o painel lateral de visualização gráfica.

Há dois tipos de gráficos diferentes neste painel lateral, um é o gráfico de linhas e abaixo há o gráfico de queijo, cada um com as suas particularidades e funcionalidades. O de gráfico em linhas é criado para uma visualização fácil e rápida do historial dos tempos dos pings de forma linear, para identificarmos facilmente quebras, má qualidade de conectividade, etc. O gráfico de queijo é útil noutro sentido, mais para uma visualização percentual das respostas dos pings distribuídas pelos pings com bons tempos, os que estão em alerta amarelo, ou os que estão em alerta vermelho, em níveis definidos pelo utilizador. Ambos são configuráveis em tempo real. Vamos analisar os dois em separado:

    
Demonstração em Vídeo

Transferir agora (download grátis):

Network Pinger v1.0.1.0
1.50 MB, versão em Português, Espanhol, Inglês, Francês, Alemão, Italiano, Chinês Simplificado, Chinês Tradicional, Russo
     
  
Publicado em 13 de Março de 2012



Software Network Pinger registado na SafeCreative (Copyright © Gonçalo Ferreira)

Network Pinger